intercâmbio

Vou fazer intercâmbio e não sei qual escolher!

Quando alguém pensa em fazer um intercâmbio e busca as informações gerais, sempre se depara com as opções de acomodação: casa de família ou residência estudantil?

Como pessoa que já fez e já vendeu intercâmbio, posso dizer que é muito relativo. Não dá simplesmente para você pensar ‘não quero ficar na casa de estranhos’. As duas opções possuem seus lados positivos e negativos.

Ficar em casa de família tem o benefício de você ser obrigado a praticar o idioma local o tempo todo. Isso é muito bom e proveitoso quando o seu intercâmbio envolve um curso de inglês, por exemplo. Costuma ser mais caro, pois na maioria das vezes você terá um quarto individual e café da manhã e jantar. Em alguns lugares e empresas, é possível mudar a opção da alimentação. Porém, vale muito a pena ficar em casa de família. Eles te ajudam a fazer o caminho da casa até a escola, mostram um pouco da vida local. Quando fui, fiquei em casa de família e não poderia ter escolhido melhor. Morro de saudades da minha família de San Francisco e converso com eles até hoje.

intercâmbio

Foto: Estudantes e hostdad reunidos no churrasco do 4 de julho, em 2013. Arquivo Pessoal.

Também é importante lembrar que pode haver outros estudantes na casa. Onde eu estava, em San Francisco, eram em torno de 15 estudantes! A regra básica é não ter ninguém da mesma nacionalidade numa mesma casa, porém se isso acontecer é necessário lembrar que o idioma geral e oficial é o local. Lembre-se que você viajou para estudar e em muitos casos, aprender um novo idioma.

Penso que o lado negativo para a casa de família é o mesmo para residência estudantil, e para qualquer convivência em grupo. Você precisa dividir o banheiro, conviver pacificamente com outros moradores, ou até com aqueles que você vai dividir o quarto.

No caso da residência estudantil, em alguns lugares você precisa ter mais de 18 ou 21 anos para se hospedar, não envolve nenhuma opção de alimentação, e claro, fica mais caro quando você pede um quarto individual com banheiro privativo. Indicamos esta opção quando o estudante é mais independente ou mais velho.

Na casa de família ninguém vai te obrigar a voltar tal hora. As famílias passam por uma seleção e um treinamento por parte das escolas (são as escolas que indicam as famílias para os alunos), portanto não será um internato ou um quartel. As regras vão existir, como em qualquer ambiente de convívio, e você deverá respeitá-las. Geralmente você precisa entrar em contato com a família dias antes de embarcar. Esse momento é legal pra quebrar o gelo inicial e já ir conhecendo as pessoas com quem você vai morar. Uma dica legal é levar lembrancinhas do seu país de origem: os gringos adoram! Por exemplo, quando fui levei Sonho de Valsa, eles gostam muito e não vende nos Estados Unidos.

Como custo benefício, ficar em casa de família é mais caro, mas eu particularmente acredito que envolve mais a rotina de um local, e você aprende muito mais quando está ali, vivendo in loco.

E você, já fez intercâmbio? Escolheu casa de família ou residência estudantil? Conta pra gente! E se tiver qualquer dúvida em relação a intercâmbio, pode mandar para contato@livreembarque.com.br



Posts Relacionados

Share:
Escrito por Ana Luna
Fez intercâmbio, trabalha com turismo, viajou por aí e queria um espaço pra dividir suas experiências! Também é colaboradora do Maroon 5 Brasil