As pessoas sempre me perguntam quando estão perto de viajar: você acha que devo levar todo o dinheiro apenas no cartão? Ou levo tudo em espécie? Minha resposta é sempre a mesma: um pouco dos dois.

E por que os dois? Você precisa lidar com o improvável. E se seu cartão não funcionar ou bloquear? E se o local onde você quiser comprar, sei lá, uma água, não aceitar cartão? Lembre-se também de levar notas trocadas, pequenas, e se possível leve moedas também.

Portanto, aconselho a levar metade no cartão e a outra metade em espécie. E eu pelo menos sempre que uso um cartão pré-pago, procuro zerar ele antes de voltar pro Brasil. Para recuperar esse dinheiro na volta, as taxas são bem maiores, inclusive se eu quiser trocar por outra moeda. Então, acabo voltando apenas com as notas que sobraram (quando sobram!).

Para administrar melhor o dinheiro, tento separar um valor por dia. Para compras, geralmente vou com uma lista de coisas desde o Brasil, então também separo um valor só para compras e presentes. Claro que tudo isso foge do nosso controle um pouco, pois é um lugar novo e você quer experimentar de tudo enquanto está por lá. Então também separo uma quantia para as coisas novas e interessantes que aparecerem no caminho.

Muito importante também separar um valor para o transporte, e neste caso incluo as moedas e trocados que mencionei no início do texto. Algumas estações só aceitam moedas no pagamento dos tickets. Ou possuem valor quebrado, por exemplo: US$ 3,50. Há também a opção de máquinas de lavar utilizarem apenas moedas. No intercâmbio eu sofria pra trocar minhas notas por moedas pra poder lavar as roupas!

No final, o valor que volta comigo ou eu troco por outra moeda quando chego em casa, ou guardo na minha coleção de moedas de outros países.



Posts Relacionados

Share:
Escrito por Ana Luna
Fez intercâmbio, trabalha com turismo, viajou por aí e queria um espaço pra dividir suas experiências! Também é colaboradora do Maroon 5 Brasil