Texto e fotos por: Greice Marques

Hoje vim falar um pouquinho sobre Barcelona, um dos destinos da Europa que mais me encantou. Fundada pelos Romanos, a cidade é uma mescla de história e modernismo com construções arquitetônicas representando os diversos estilos e períodos históricos.

A cidade é conhecida como a capital do modernismo catalão com as obras do arquiteto Antoni Gaudí, representando este estilo, mas também possui construções góticas, romanas, e contemporâneas. As obras de Gaudí, em especial a Sagrada Família, foram o motivo principal da escolha do meu destino e eu não imaginava que ficaria tão maravilhada com tudo que vi.

Visitei Barcelona com a minha mãe na baixa temporada, em Fevereiro deste ano durante o inverno portanto os preços das acomodações estavam bem acessíveis. Fiz minhas reservas pelo booking e me hospedei no Hotel HLG CityPark Pelayo, que tem uma localização central ótima. A porta do hotel fica literalmente em frente a uma estação de metro e várias paradas de ônibus, além de ficar a minutos de distância do principal centro de compras da cidade e da praça da Catalunya. Mas qualquer hotel que fique próximo a praça da Catalunya ou a universidade está super bem localizado. Mesmo que sua acomodação não seja em uma área central o sistema de transporte de Barcelona é viável, excelente e integrado, então nada fica muito longe. Esta área também possui ótimas opções de restaurantes e cafés econômicos para quem não quer gastar muito. Recomendo procurarem a rede de restaurantes FresCo, que é tudo preparado na hora e é self-service, com opções de salada, massas, carnes, sobremesa e bebida tudo incluso por menos de 20 euros. Aliás esse foi um dos melhores achados da minha mãe. Comemos muuuuuito bem todos os dias que ficamos lá, por bem pouco.

La Sagrada Familia

Nosso primeiro passeio foi A sagrada Familia, que foi a obra arquitetônica mais impressionante que eu já vi. O metrô fica bem em frente a igreja de maneira que quando se sai da estação é a primeira coisa se que vê e é de tirar o fôlego. Dá vontade de ficar andando em volta da igreja só para prestar atenção nos detalhes de tão linda e impressionante que ela é. O ingresso para visitação custa 18 euros e é uma das coisas indispensáveis de se fazer na cidade. O templo católico que não deve ser terminada antes de 2026 (centenário da morte de Gaudí) iniciou sua construção em 1882 e está sendo construída desde então baseada nos projetos de Gaudí.

Uma das características marcantes das obras do Gaudí é sua inspiração nas formas da natureza: as colunas da igreja são em forma de tronco de arvore e converte o interior do templo em um espaço semelhante a uma floresta. A construção é cheia de simbolismo católico por isso recomendo o passeio com o guia audio, pois ele explica todo os detalhes presentes nas fachadas da igreja, bem como os detalhes do interior do templo, desde os vitrais até o altar. Além disso, é possível visitar uma espécie de museu que existe embaixo da igreja, para entender um pouco da linha do tempo da obra e como eles estão fazendo para terminá-la.

Muitas das partes que estão sendo construídas agora, são impressas em modelos 3D todos expostos para visitação, o museu possui também uma réplica de como a igreja ficará quando estiver pronta e desenhos originais do projeto de Gaudí. A visita a Sagrada Família é um passeio demorado, por isso recomendo reservar de 3 a 4 horas de seu dia para a visitação.

Barcelona e as maravilhosas obras de Gaudí

Depois da visitar a Sagrada Família, fomos conhecer outras obras do Gaudí do meu interesse e passear um pouco pela cidade. Cada uma de suas obras é paga por isso a casa Batlló e a Casa Milá (também conhecida como La Pedrera) visitamos apenas por fora, mas são pontos turísticos que eu recomendo também, por que elas são impressionantes. As duas casas se encontram no Passeig de Grácia, e que é uma das avenidas principais de Barcelona e parte da rota do Modernismo, com várias obras arquitetônicas deste período.

 

Do passeig de Grácia, segui andando até a praça da Catalunya sem destino certo, apenas passeando pela cidade para conhecer um pouco do lugar. Ficamos impressionadas com a organização e a limpeza da cidade e em perceber como ela é bem planejada. Eu acabei seguindo os prédios com telhados diferentes e fui parar na casa de Les Punxes, que de longe parece um castelo e de perto é uma linda casa com estabelecimentos comerciais embaixo e um centro de visitação do próprio prédio. Todos os monumentos da cidade são dignos de visitação, mas como falta tempo para visitar tudo, tive que elencar os que eu mais queria ver. Mas a maioria dos passeios fiz a pé, indo de um lugar ao outro, que para mim é a melhor maneira de se fazer turismo porque acabo entendendo melhor como me localizar na cidade.

Barcelona e as maravilhosas obras de Gaudí

Na primeira noite, fomos em um espetáculo de flamenco em um teatro-bar chamado Los Tarantos na praça real. Para quem gosta de dança típica o show vale muito a pena. São 15 euros por pessoa e o espetáculo dura em torno de 30 minutos. Depois do show voltamos andando pelas Ramblas, que tem vários restaurantes e bares e esta sempre muito movimentada, de dia e a noite.

No segundo dia, acordamos cedo e fomos até a Marina de Barcelona dar umas olhadas nos iates que nunca iremos comprar, hehehehe. De lá seguimos para o bairro Gótico. Passamos pela praça Ramon Berenguer el Gran, que possui muralhas romanas e tem uma vista das torres da catedral gótica que fica ao lado. A catedral é maravilhosa, outro feito arquitetônico de tirar o fôlego, e ao seu redor encontram-se muitas ruínas romano-medievais das quais o bairro se desenvolveu. A sensação é que que você está sendo transportado no tempo para diferentes períodos todos compreendidos em uma só cidade. É um dos bairros mais legais de se explorar, e para quem conhece o livro “A sombra do vento” de Carlos Ruiz Záfon, é o bairro em que boa parte dos personagens transitam.

Passamos pelo Passeio del Born e o antigo mercado e depois fomos visitar o Mercado de Santa Catalina que, não vou mentir, não estava na rota mas o telhado nos chamou a atenção. De lá voltamos pelo Passeig de Lluís Companys onde fica O arco do Triunfo de Barcelona. Esse caminho nos leva direto ao parque da Ciutadella o maior espaço verde localizado no centro da cidade e outro ponto indispensável no roteiro.

O parque da Ciutadella é ótimo para quem quer descansar entre as árvores ou até mesmo para quem pretende fazer um piquenique de fim de tarde. Além de ser bem amplo o parque possui algumas obras dignas de visitação como o Castelo dels Tres Dragons, que hoje é o museu de zoologia, o Hivernáculo e o Parlamento de Catalunha, assim como meu lugar favorito, a Cascada do parque, que é enorme e claramente inspirada na mitologia Greco-romana.

Parque Güell

Em nosso terceiro dia na cidade, visitamos o que eu considero o ponto turístico mais importante de Barcelona e uma das obras mais bonitas de Gaudí: O Parque Guell. Apesar de ter amado visitar a Sagrada família, o parque Guell foi definitivamente o lugar que mais me encantou. Situado no distrito de Grácia o parque foi pensado para ser uma obra arquitetônica integrada à natureza, e, apesar de não ter sido concluído como seu idealizador Eusebi Guell concebeu, é hoje um dos pontos turísticos mais visitados da cidade. O ingresso custa 7 euros e os grupos entram de meia em meia hora, porém não há horário de saída.

O pavilhão de entrada procura evocar a casa de doces da Bruxa do conto João e Maria, e assim que passamos o portão principal vemos a escada principal do parque Guell, toda revestida em cerâmica multicolorida características das obras de Gaudí. A direita encontram-se os passeios de pedra do parque e diretamente em frente, a escadaria nos leva a sala das 100 colunas (que na verdade tem 84) e que suporta a grande praça central do parque com seus bancos ondulantes e uma das melhores vistas de Barcelona. O parque que fica em uma colina, é enorme e cheio de lugares fantásticos para explorar, existem outros prédios no mesmo parque, um deles é a casa em que Gaudí morou e que hoje é um museu dedicado ao arquiteto. Recomendo a visitação para o período da manhã e com bastante folga de tempo caso queiram explorar os outros ambientes do parque.

Existem outras áreas da cidade como o Montjuic e Tibidabo que são mais afastadas do centro que valem muito a pena conhecer, mas que não tive tempo. Vocês devem estar se perguntando, ‘mas e a praia?’ Como fomos no inverno (e estava muito frio) passamos na La Barceloneta só para dizer que vimos, mas não foi o foco da nossa viagem. Achei a praia bonita, mas como boa brasileira acho as praias daqui muito mais impressionantes portanto não é uma coisa que me chama atenção quando viajo. Mas imagino que no verão uma passadinha na praia seja indispensável, nem que seja só para molhar o pé no mar mediterrâneo.

Barcelona e as maravilhosas obras de Gaudí

Espero que esse relato tenha ajudado vocês de alguma forma, tenho certeza de que tudo o que vocês visitarem na cidade vai ser incrível porque é realmente umas das cidades mais lindas que já visitei e que possui opções para todos os gostos. Boa viagem!

Garanta sua hospedagem em Barcelona através do Booking.com!



Booking.com

Share:
Escrito por Ana Luna
Fez intercâmbio, trabalha com turismo, viajou por aí e queria um espaço pra dividir suas experiências! Também é colaboradora do Maroon 5 Brasil