Dicas para planejar sua viagem sem stress

Sempre que planejo minhas viagens, eu costumo pensar sobre tudo com meses de antecedência. Com exceção da viagem para a Europa, que eu planejei em Fevereiro e viajei em Maio, mas eu já tinha experiência em vários pontos, portanto não ficou uma viagem corrida nem com grandes problemas. Nenhum, na verdade.

Abaixo cito algumas coisas que faço quando tenho planos de viajar para algum lugar, principalmente para o exterior:

  • Compro dólar/euro 1x por mês: defino um valor que cabe dentro do meu orçamento e compro moeda estrangeira despretensiosamente. Faço isso para aproveitar o câmbio do dia e ter moeda em espécie para quando for viajar. Ajuda a economizar.
  • Uso aplicativos que me mostram os melhores valores de passagem aérea: Momondo e Kayak. Penso em datas e como posso flexibilizar para poder pesquisar valores mais em conta. Considero que o valor das passagens caem em dias específicos: meio de semana, segunda feira e domingo.
  • Para a hospedagem, acredito que é a parte que mais fico receosa e pesquiso com mais detalhe. Agora com o Airbnb é mais tranquilo, mas sempre considero alguns pontos: localização e entornos, principalmente pensando no período da noite; classificação e comentários sobre o local, valores e higiene.
  • Se é um lugar que eu nunca fui, pesquiso bastante sobre o local e anoto tudo que tenho vontade de conhecer. Olho no mapa a localização dos lugares e faço um roteiro em que posso ver as coisas próximas umas das outras.
  • Pesquiso também como funciona o transporte e como posso tornar isso um ponto mais barato da viagem. Às vezes comprar um passe mensal, mesmo que você fique pouco tempo, compensa mais, pois terá mais liberdade de usar o transporte.
  • Se você tiver um plano de internet móvel internacional, isso te ajuda bastante. Você pode consultar endereços, caminhos e ver mapas para chegar mais rápido onde você quer ir. Você pode inclusive criar um mapa customizado pelo Google Maps, marcando apenas os lugares que quer ir! Para saber como, clique aqui.
  • Sempre levo uma bolsinha pequena que posso usar enquanto ando pela cidade. Nela levo apenas o essencial: algum dinheiro, uma cópia do meu passaporte, mapa, celular e uns trocados (em alguns lugares só aceita moedas para comprar passes de metrô, por exemplo).
  • Na semana anterior da viagem, já deixo as malas abertas em um canto do quarto e tudo que eu for lembrando, vou colocando lá dentro para não esquecer de levar. Para ajudar, faço listas também. Lista de presentes, de coisas a levar, coisas a trazer, lugares a conhecer.

Vejo todos esses pontos com antecedência, marco a viagem, compro a passagem e espero ansiosamente o dia chegar! Um detalhe importante: não se prenda ao seu roteiro. Surpresas boas acontecem no caminho que tornam a viagem mais aproveitável!  É fundamental ver tudo com antecedência, mas é bom deixar espaços para as surpresas que o local pode te proporcionar!

Se você tiver alguma dúvida em planejamento ou criação de roteiro de viagem, consulte-nos na página Viaje Agora!

pinterest2

fonte: pinterest

Continue Reading

Viajar não é sinônimo de ter dinheiro

Por muitas vezes eu sempre escutei, desde minha primeira viagem internacional: que rica! indo viajar pra outro país! E logo depois que eu voltei, entendi que conhecer lugares não se trata de riqueza material.

IMG_9702

Foto: Londres, maio 2016. Arquivo pessoal.

 

Nunca me considerei uma pessoa rica, nunca ouvi em casa que temos muito dinheiro. O que sempre ouvi foi ‘quem se esforça, guarda dinheiro e vai longe’. E foi exatamente o que fiz. Guardei o dinheiro do meu primeiro estágio em uma poupança, economizei por um bom tempo, cortando gastos fúteis. Em junho de 2013 embarquei para San Francisco, com tudo pago apenas pelo dinheiro do meu estágio (que a considerar a época e a função, não era muito).

O mesmo ocorreu agora com a viagem pela Europa. Eu tinha um objetivo: viajar novamente. Pesquisei valores, locais e eventos mais em conta que pudessem caber dentro do que eu poderia bancar. Abri mão de alguns luxos ao longo do tempo. Guardei novamente em uma poupança tudo que eu ia ganhando. Comprei euro e libra aos poucos, por alguns meses. Nunca fui de fazer muitas compras em viagem. Simplesmente não é o meu objetivo. Gosto de viajar para conhecer lugares, para respirar história, para ver de perto o que os livros da escola, a tv e a internet me mostram. Ativei o modo ‘econômico’ e fui. Irlanda, Holanda, Inglaterra e Itália entraram na minha lista, com uma viagem que durou 15 dias.

Portanto amigos, é possível sim viajar sem ser rico. Corte luxos, abra mão de coisas por um sonho maior. Não importa quanto tempo demore, o que importa é o sonho se realizar. Pesquise opções mais em conta, sintetize passeios e principalmente: faça um roteiro antes de ir. Isso economiza tempo, dinheiro e te faz conhecer mais lugares. Tudo é possível, só basta organização, pesquisa e disciplina para se chegar no seu objetivo. Gastar com viagem é o único investimento que te torna mais rico.

Inspiração de hoje: http://viajeaqui.abril.com.br/vt/blogs/achados/2016/02/22/consumir-menos-para-viajar-mais/?utm_source=redesabril_viagem&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_viagemeturismo

Continue Reading