O que aprendi viajando sozinha

Cliffs of Moher

Explorando esse mundo por minha conta, algumas coisas ficaram claras pra mim em um primeiro instante. Outras eu precisei passar por alguns perrengues para captar e aprender. A lista abaixo contém algumas dessas coisas que aprendi e que espero que você aprenda também. Ou que pelo menos tenha em mente para poder viajar e curtir muito todas as aventuras que você planeja ter.

  • não dependa de ninguém;
  • teve vontade de fazer aquele passeio? VÁ. não espere ninguém. talvez essa seja uma chance única e você não quer perder né?;
  • coragem sempre. ninguém vai poder viajar por você. faça suas malas e vá;
  • se você tiver um conhecimento mesmo que básico do inglês, acredite nisso e use-o sem medo. você vai se surpreender no quanto já sabe e no quanto pode aprender;
  • quem converte, não se diverte. deu vontade de comprar? compra!;
  • desligue-se do Brasil e aproveite cada segundo da sua viagem. Quando você voltar, tudo estará igual por aqui;
  • não tenha medo de perguntar. tire sua dúvida e continue seu caminho;
  • seja esperto. muitos vão querer tirar proveito só pelo fato de você ser estrangeiro. se for mulher, então…
  • não é porque você tá na gringa que todos serão anjos do céu. pelo contrário. atenção redobrada;
  • ande sempre com dinheiro trocado (e moedinhas!);
  • ande com uma cópia do seu passaporte;
  • leve uma bolsinha pequena dentro da mala para colocar os documentos e itens indispensáveis. Ninguém quer ficar segurando uma bolsa enorme enquanto viaja né? ótimo também pra bater perna por aí sem se preocupar;
  • muitos vão duvidar de você. mas você não pode duvidar de si mesma. apenas embarque e aproveite;
  • não demonstre medo, isso dá abertura para muitas situações indesejáveis;
  • leve cadeados a mais! Vai que precisa né…
  • antes de sair pra passear, dê uma olhada no mapa para ter uma breve noção de onde você vai, como chegar lá e como voltar. faça um ‘scan’ da área;
  • aplicativos são nossos amigos! baixe apps úteis para a sua viagem, como aquele que permite o acesso aos mapas mesmo estando offline (chama maps.me – não deixe de baixar!)
  • quer economizar? faça uma lista antes da viagem de tudo que gostaria de comprar e foque nessa lista. claro que sair um pouco não tem problema, mas isso te ajuda a planejar os gastos, a comprar o que quer e ainda economizar;
  • não espere a vida toda para ser feliz, conhecer lugares e se presentear. APENAS EMBARQUE!
Continue Reading

Quando a alma pede tempo

Cliffs of Moher

A vida muitas vezes é tão corrida, que mal percebemos o quão rápido ela passa. Geralmente, só vamos nos dar conta quando as coisas começam a pesar em nossos ombros e entendemos o recado: precisamos parar para descansar, para refletir.

No caso, essa parada funciona comigo quando eu durmo por muitas horas, mas é bem mais efetivo quando viajo. Imagino que com vocês também, já que estão por aqui lendo.

Viajar é dar uma pausa mental em tudo que faz parte do seu dia-a-dia, escapar para um mundo novo, diferente. Por isso todo mundo quer, todo mundo faz. Viajar é dar uma esperança para a alma e renovar os ânimos. E quando falo viajar, não é somente para fora do país. Precisamos desmistificar que viagem só é válida quando é internacional. Mentira. Viagem é ir até para o interior durante um fim de semana. Viajar é se desligar aqui e se ligar lá.

E quando você viaja, é como se uma vida nova começasse ali, na hora do embarque. É quase que uma ilusão do nosso cérebro, uma fuga saudável. Mas enquanto você ‘foge’, você encontra a vida, e dá à alma o tempo que ela pediu. É preciso viajar e renovar o relógio que mora dentro da gente.

Enquanto a alma pede tempo, ela também se alimenta de novas informações, que coletamos enquanto viajamos. Quando o corpo estagna, ele pede essa nova fonte de referências. É necessário reciclar o conteúdo interior. Por isso viajar é tão atraente e tão necessário ao mesmo tempo.



Continue Reading

O que me motiva a viajar?

Muitas pessoas perguntam porque eu tenho tanta sede de viajar. Porque decidi fazer do turismo a minha vida e montar um site onde conto sobre o pouco que sei e o pouco que já vi do mundo. A curiosidade já me levou muito longe, tanto no sentido figurado como no literal. Talvez esse seja o motivo principal, mas não o único.

Sempre tive vontade de saber o que acontecia fora da minha rotina, do meu entorno, do Brasil. Sempre tive curiosidade em saber como seria o ar de um outro país, a forma de viver. A única ideia que eu tinha era a dos filmes e séries, e sim se parece muito. Mas é muito mais do que isso.

Conhecer o mundo hoje faz parte de mim. Percebi que poderia ir muito longe quando despertei a vontade de aprender um novo idioma. Quando notei que poderia conversar com pessoas totalmente diferentes de mim tanto em inglês quanto em espanhol, foi aí que eu vi o sinal: nada é impossível.

Dali pra frente, foi questão de muito esforço e tempo. Meu maior choque foi quando fiz intercâmbio. É tudo muito diferente da minha vida no Brasil, mas ao mesmo tempo muito igual.

Conhecer lugares é sim uma das motivações. Saber como tudo funciona fora da televisão, da tela do computador, é surreal. É tirar suas próprias conclusões, criar experiências e fazer elas acontecerem. Mas, como sempre digo, a minha maior motivação de viajar é a maturidade, o desafio. Estar solta pelo mundo me faz crescer muito, portanto essa junção de sentimentos, vontades e desafios me fazem querer fazer as malas e desbravar o mundo por aí.

Depois que percebi que o crescimento é o maior benefício e ele sempre chega até mim de forma natural e impactante, nunca mais procurei mais nada além disso numa experiência internacional.

E claro, relaxar e curtir também são grandes motivadores! E pra você, o que te motiva a viajar?

Continue Reading