Quando vemos os gringos falando do Brasil com olhinhos de criança, deveríamos parar pra pensar do porque disso. Nosso país tem muito a oferecer. Temos um país continental, cheio de diversidade. É como se existissem vários países dentro de um único Brasil. E não é atoa que o mundo inteiro quer visitar nosso cantinho.

O Nordeste tem tanto a oferecer, que eu, uma pessoa que sempre está por lá, não entendo ainda como que as pessoas se limitam apenas a conhecer as praias (que são belíssimas por sinal, e com certeza vale a visita). O Nordeste é muito mais que isso.
Sou muito suspeita pra falar do Brasil. Desde pequena eu corto o país de carro, fazendo a rota São Paulo – Fortaleza, para visitar a família que mora no Nordeste. Nessas aventuras, conheci várias cidades, um povo completamente plural, e aprendi muito ao longo dos meus 24 anos. A minha paixão é poder viajar para o Ceará especificamente e sempre receber a mesma lição de forma diferente: o simples me encanta. E isso vai além das praias.

Costumamos ir para uma cidade chamada Jucás, que fica no interior do Ceará, em média 350km de distância da capital, Fortaleza. Meus avós moravam lá e eles eram o principal motivo da viagem. Mas, para chegarmos lá, passávamos por vários estados, e era possível conhecer muita coisa. Víamos uma Bahia seca, porém sempre alegre. Víamos uma Minas Gerais repleta de curvas e sempre com muita simpatia. E principalmente, víamos a fome, a pobreza e a luta pela vida caminho afora.

O povo cearense (falo deles pois são os que tenho mais contato, pois tenho família por lá) é muito esforçado. São constante destaque nas classificações estudantis, pois sabem que o estudo e a educação são a única forma de salvá-los da condição em que o Nordeste se encontra perante o restante do país. A vida toda tive que lidar com algo que não entendia quando voltava pra casa. O preconceito com o povo Nordestino existe, e ainda é muito forte. Quando era pequena, desenvolvi um pensamento para explicar isso e que se confirma a cada vez que me deparo com esse tipo de atitude: existe esse preconceito porque as pessoas julgam sem conhecer, portanto ainda não tiveram a incrível oportunidade de ver de perto o quanto o povo Nordestino é alegre, receptivo e feliz em suas possibilidades.

Tenho muito orgulho das minhas raízes nordestinas, do riso fácil que eles têm, da alegria, da festança e da vontade de viver. Tenho um pouco de inveja da liberdade que eles têm, de poder colocar a cadeira na calçada, passar um tempo olhando a rua e conversando, sem pressa, sem o stress do dia-a-dia. Apenas curtindo o momento. Vivendo de forma simples, realmente vivendo de verdade. Tenho verdadeiro carinho pela cultura nordestina, pela música que sempre me lembra nossas viagens de carro daqui até lá, e principalmente tenho admiração pela vontade de vencer que esse povo tão feliz possui. E eles vencem. A mídia não mostra, alguns não se interessam em saber. Por isso eu recomendo: visite o Nordeste brasileiro. Faça um roteiro que inclua as praias, mas que também te de oportunidade de sentar e conversar com os locais. Vá ao interior. Explore o Nordeste de forma antropológica, que te dê a possibilidade de conviver com o povo que é tão alegre, feliz e que sabe aproveitar os momentos bons da vida, da forma deles.
Conheça seu país. Temos muito a oferecer, e você pode absorver tudo isso antes mesmo de ter a oportunidade de conhecer outro país.

ps: minha paixão pelo Nordeste é tão grande, que até meu TCC foi sobre essa região incrível do nosso país <3

Posts Relacionados

Share:
Escrito por Ana Luna
Fez intercâmbio, trabalha com turismo, viajou por aí e queria um espaço pra dividir suas experiências! Também é colaboradora do Maroon 5 Brasil