Los Angeles: roteiro para curtir a cidade de forma light

“Everybody comes to HOLLYWOOD” – É com esta icônica música da Madonna que eu começo a escrever sobre um dos lugares mais incríveis que já fui: Los Angeles!

Los Angeles, ou a cidade dos anjos, é um dos lugares mais procurados quando falamos de roteiros pela Califórnia, e não poderia ser diferente comigo. O itinerário da minha viagem começou por Las Vegas, prosseguindo para Los Angeles e terminando em San Diego (não há como ir para Califórnia e ficar apenas em uma cidade, mas vou dividir hoje as experiências de Los Angeles, que era um dos destinos que mais sonhei em conhecer). Que tal começar por onde ficar?

Quando planejamos a viagem, reservamos todas as estadias por sites de hospedagem online, e com bastante antecedência, tentando garantir os melhores preços. Los Angeles é muito grande e tem diversas opções, variando de hotéis a motéis de pernoite. Nos nossos planos iniciais, reservamos apenas um hotel para toda a estadia na terra das estrelas, mas acabamos passando por três diferentes (explico daqui a pouco o porquê D: ).

O hotel escolhido ficava na Sunset Boulevard, no centro de Hollywood, pois como não usaríamos carro, a localização estava a um quarteirão da calçada da fama, teatro chinês, dolby theatre, madame tuseaud e uma estação de metro, facilitando assim muito nosso acesso a todos estes pontos turísticos. Estava tudo dentro dos conformes, havíamos saído de Vegas (a cidade espetacular do luxo e do prazer) quando um infortúnio aconteceu: chegando ao hotel, às 23h, cansados de uma longa viagem de carro, ao abrirmos a porta do nosso quarto, nos deparamos com um rato. SIM, UM RATO! E não era um ratinho, bonitinho, ao estilo filmes hollywoodianos, era uma ratazana de uns 30cm (na realidade acho que ela ficou com mais medo da gente do que a gente dela), mas na hora que vimos isso, foi um choque e saímos de lá, sem nem olhar para trás (apenas com o dinheiro da reserva dos quartos, nada mais justo).

Atenção: o hotel era o Budget Inn, apesar da localização excelente, não recomendo.

Ficamos chocados e decepcionados ao mesmo tempo, pois esperamos tanto para conhecer este lugar, e a primeira impressão foi a pior possível; mas ao final das contas isto não foi de todo mal (agora vou explicar, prometo que de forma rápida, nossa tour pelos hotéis e os escolhidos).

Saindo do hotel do rato, Los Angeles estava completamente LOTADA, e nós, desesperados, cheios de malas e sem lugar para ficar. Depois de algumas horas procurando (vale o ponto positivo da cidade: encontramos valets de hotéis e taxistas muito simpáticos, que nos acompanharam por toda esta tour) acabamos indo para Beverly Hills (o hotel não era tão barato, mas tinha vagas, e nós só queríamos dormir). Chegando lá nos deparamos com um hostel, simples, porém muito limpo e familiar e o mais incrível, que só descobrimos no ultimo dia, estava localizado a apenas um quarteirão da Rodeo Drive (a famosa, enorme e muito melhorada Oscar Freire para nós paulistas), uma rua com as maiores lojas de grife do mundo, ruas com as famosas palmeiras dos filmes e série, e só gente linda e bonita (ok, sei que gosto é muito particular), mas o lugar cheira a riqueza rs. Resumindo, se não tivéssemos conhecido aquele “ratinho” na nossa chegada, talvez nem tivéssemos ido a Beverly Hills, conhecido o famoso quarteirão, o letreiro do lugar, e os cenários de algumas séries, dentre elas a famosa 90210 (sim, é o código postal do bairro). O hostel se chamava “Hotel del Flores”.

Los Angeles: roteiro para curtir a cidade de forma light

Passando esses dois dias lá (um dia fomos a Santa Monica e o outro conhecemos o condado), partimos para um apartamento que encontramos em um site de agendamentos online de hotéis, que ficava á exatos um quarteirão do famoso hotel do ratíneo, na Santa Monica Boulevard (e foi um verdadeiro achado, lindo, confortável, e o mais importante, LIMPO). A partir daí a viagem foi só sonhos. Fizemos tudo de transporte público (vários blogs indicam carro. Também é uma boa opção, rápida, e o transito não é mais absurdo que o de são Paulo), mas para nós que estávamos em duas pessoas e não queríamos preocupações, o transporte público serviu muito bem. No site do transporte da cidade você encontra todos os ônibus disponíveis, horários, itinerários e tudo o que precisa. O mais importante saber é que, ao utilizar ônibus em LA (o “metrô” devolve troco normalmente), você deve andar com dinheiro trocado para não perde-lo, pois a máquina onde se deposita não dá troco, e ficar atento aos horários de funcionamento de cada destino, pois cada um começa e para de funcionar em horários diferentes).

Aqui uma lista de lugares que fomos de transporte, e que considero paradas indispensáveis a quem está na cidade: Santa Monica Pier, Venice Beach, Warner Bros Studios Tour, Universal Studios Hollywood e até Disneyland.

A cidade oferece atrações para todos os gostos, quem gosta do mundo do cinema indico muito os Studios, onde você conhece vários cenários marcantes da história do cinema (Spider Man, Batman, Pretty Little Liars, FRIENDS, Bates Motel, Big Fat Liar, dentre outros)

TIP: existe um site chamado tvtickets.com, onde pode-se cadastrar e tentar ingressos para assistir as gravações de suas séries preferidas.

Nós conseguimos para Fuller House, e foi uma experiência indescritível. Até hoje ainda sonho com isso. Para quem é apaixonado mesmo, recomendo a Deluxe Tour da Warner, que apesar do preço salgado, oferece decidas em cenários, como o de LA LA LAND, além de café da manhã e almoço. Já para quem gosta de praia, não deixem de conferir o pôr do sol no famoso Píer Santa Monica, e tirar um dia do final de semana, se possível, para conhecer a agitação e variedade popular e cultural de Venice Beach, a praia mais paz e amor que você conhecerá.

Los Angeles: roteiro para curtir a cidade de forma light

Como ficamos hospedados a aproximados 20min da calçada da fama, conseguimos em uma tarde visitar as principais estrelas (você consegue o mapa delas em qualquer hotel), e todos os atrativos dessa rua, desde os shoppings e gift shops, até o famoso museu de cera. Em uma tarde é possível fazer tudo isso, e o lugar rende fotos maravilhosas. Não posso esquecer também que, mesmo sem plano de internet, a maioria dos lugares lá oferece wifi gratuito, caso precise de uber (nós usamos muito, principalmente dos hotéis para o aeroporto e vice-versa, e sai muito mais barato que táxi) ou qualquer serviço online. A cada esquina você encontra um fast-food ou uma Starbucks (que era nossa parada obrigatória todos os dias).

Para terminar, não poderia deixar de fora o famoso HOLLYWOOD SIGN, o letreiro mais famoso do mundo! Existem várias formas de chegar até ele, nós escolhemos ir até o view point, que garante a melhor vista do letreiro, e precisamos de carro para isto. Como alugamos um carro para ir de Los Angeles para San Diego, aproveitamos esse primeiro momento com o carro para ir até o letreiro antes de seguir viagem à próxima cidade. Este lugar rende as melhores e mais inesquecíveis fotos da viagem, é parada obrigatória para qualquer turista.

Resumindo, ao final da viagem até o rato nós já considerávamos amigo, e saímos de lá com sentimento de sonho realizado e já programando a volta para a cidade dos sonhos.

Posts Relacionados

Share:
Escrito por Ana Luna
Fez intercâmbio, trabalha com turismo, viajou por aí e queria um espaço pra dividir suas experiências! Também é colaboradora do Maroon 5 Brasil