Porto de Galinhas, Maragogi e Recife

Texto e fotos por: Jean Paul

Oiii! Eu me chamo Jean, sou estudante de Turismo, estagiário da Paineiras Corcovado e, ao mesmo tempo, agente de viagens home office (segue lá no insta @jeanpaul.agentedeviagens). Como já deu pra perceber, sou um apaixonado por viagens! Além de trabalhar com turismo, também amo viajar e já fiz algumas viagens por aí, mas a mais recente foi a Porto de Galinhas-PE e, por isso, resolvi contribuir um pouquinho com o blog parceiro Livre Embarque e contar pra vocês como foi essa experiência.

Como já disse, sou agente de viagens e, portanto, eu mesmo montei meu pacote usando uma das operadoras às quais tenho acesso. A viagem foi no período de 02 a 07 de janeiro de 2017 e estava com meus familiares, um total de 7 pessoas comigo incluso. Ficamos hospedados na Pousada São Francisco de Assis, bem próxima ao centrinho da Vila de Porto de Galinhas, que fica a 50km de distância do aeroporto de Recife, no estado de Pernambuco. A pousada é bem simples, mas muito limpa, bem localizada, tem uma piscina pequena que dá pra aproveitar no final do dia (já que o melhor de viajar é passear e não ficar enfurnado na pousada, né?! rs) e, também, tem funcionários muito prestativos e simpáticos. Além disso, o café da manhã é bem gostoso e conta com pães, bolos, frutas e salada de fruta e ainda tapioca feita na hora (delícia!)

Por estar em grupo, decidimos já incluir os traslados e passeios no nosso pacote. No dia de chegada, não foi feito nenhum passeio, apenas deixamos nossas malas na pousada e fomos conhecer, a pé mesmo já que é bem próximo, a vila de Porto de Galinhas. Como já era início da noite, resolvemos jantar no restaurante Porto Bello e ficamos deliciados! A refeição à la carte é muito bem servida e saborosa, além de ter preço justo. Os funcionários do restaurante são muito simpáticos e nos atenderam super bem. Depois, fomos caminhar um pouco e conhecer algumas lojas da vila, que contam com artesanatos, roupas, calçados, itens de decoração, além de muitos outros restaurantes, redes de fast food, hamburguerias etc.

No dia seguinte, fomos conhecer a Praia dos Carneiros, de águas quentes e tranquilas e que tem como principal atração a Capela de São Benedito, construída no século XVIII. O passeio pela orla da praia é feito com catamarã, que nos leva até um ponto onde se é possível utilizar argila para limpeza de pele. O catamarã já estava incluso no pacote. O ponto de apoio ao turista é no restaurante Bora Bora, onde se come muito bem e se pode tomar banho de mar, além de se banhar no chuveiro de água doce.

No terceiro dia, fomos conhecer Maragogi que, apesar de pertencer ao estado de Alagoas, fica mais próxima de Porto de Galinhas (100km de distância) do que Maceió (130km de distância). Maragogi é belíssima, a água é quente, calma e super transparente. Neste passeio, o ponto de apoio é o restaurante Pontal do Maragogi, de onde se toma o catamarã (não incluso no pacote e que custa R$50,00 por pessoa) para as piscinas naturais que se formam afastadas da costa. No próprio catamarã é oferecido a opção de mergulho; nesta viagem, optamos por não fazer o mergulho, porque a água não estava tão transparente quanto é possível ficar, mas a região de mergulho é um pouco mais afastada das piscinas naturais e o valor é de R$150,00 por pessoa.

Nosso quarto dia foi de passeio à Recife e Olinda. Neste passeio, conhecemos os principais pontos turísticos das duas cidades: Marco Zero, Praia de Boa Viagem, Museu de Frevo, Museu dos Bonecos de Olinda, Centro de Artesanato de Olinda, a Casa da Cultura e uma cachaçaria que não lembro o nome (eu nem bebo, então foi mega inútil essa visita haha). O dia estava muito quente na cidade e, como estávamos mais a fim de tomar banho nas piscinas naturais e de água quente (diferentemente do Rio de Janeiro, onde moro) acabamos ficando um pouco entediados e cansados. Mas o passeio foi cortesia e, por isso, decidimos ir mesmo assim. Não nos surpreendemos com nada do que vimos: a cidade tem seus problemas como todas as outras, os artesanatos encontrados são os mesmos que encontramos em outras cidades (eita, globalização!) e o guia era muito chato e parecia estar de saco cheio. No fim das contas, achamos o passeio desnecessário e, por isso, não indico àqueles que estejam com uma vibe mais de praia e ar livre, mas, no todo, a vista de Olinda é linda.

No dia seguinte, optamos por fazer um passeio de 6h de bugue, este não estava incluso no pacote e adquirimos o passeio com uma agência local indicada pela pousada. Negociamos e fechamos por R$200,00 cada bugue, pois como estávamos em 7 pessoas, necessitávamos de dois. Este passeio passa pelas principais praias de Ipojuca, município onde se localiza a Vila de Porto de Galinhas. Começamos na Praia de Muro Alto, que tem uma barreira de corais que forma uma imensa piscina de água morna. Passamos boa parte do tempo nessa praia, pois é a melhor para se banhar já que a água é tranquila. Aproveitamos para fazer stand-up paddle, que custou R$40,00 durante 1h. Em seguida, fomos para a Praia do Cupe que também é belíssima. Lá a água estava mais transparente e conseguimos alugar um snorkel por R$10,00 durante 1h e pudemos ver e tirar foto com os peixinhos em baixo d’água. Fechamos este passeio no Pontal de Maracaípe, onde assistimos ao por do sol, um belíssimo espetáculo da natureza, que se põe atrás dos coqueirais típicos da região.

Porto de Galinhas é uma típica vila do interior, às 22h o comércio todo fecha e todos se recolhem às suas casas, a vida é tranquila e muitos comércios estão anexos às residências. Infelizmente, não conseguimos aproveitar a praia de Porto de Galinhas e suas piscinas naturais, pois a maré estava alta, mas mesmo assim a viagem valeu muito à pena, pois conhecemos tantos outros lugares paradisíacos. Porém, o melhor é ficar de olho na tábua de marés e nas fases da lua (lua nova é a melhor época, pois a maré está mais baixa). Além disso, fique atento à sazonalidade: a alta temporada vai de dezembro a março, quando as temperaturas são mais elevadas e chove menos.

De modo geral, a viagem foi sem dores de cabeça, econômica (o pacote saiu em torno de R$1.500,00 por pessoa e os gastos lá foram somente com alimentação, algumas lembrancinhas e o passeio de bugue e alguns outros passeios e equipamentos já citados) e muito especial. Os paraísos visitados ficarão para sempre na minha memória e foi muito bom tê-los aproveitado com meus familiares que amo demais!

Aos que se interessarem em conhecer esse lugar mágico que é Porto de Galinhas, é só me encontrar através das redes sociais (facebook.com/jeanpaul.agentedeviagens e instagram @jeanpaul.agentedeviagens) e entrar em contato pelos meios disponíveis nas plataformas.



Continue Reading

Principais pontos turísticos em Fortaleza

Fortaleza

Sou suspeita pra falar sobre o nordeste brasileiro, pois significa uma parte linda e incrível da minha vida. Como já contei pra vocês, minhas férias na infância eram todas lá no Ceará, na casa dos meus avós, rodeada de primos e aquela felicidade de estar em família. Então, tudo que remete ao nordeste e à cultura nordestino, tem imenso significado pra mim e um espaço bem grande no meu coração.

Talvez a essa altura da vida eu não seja mais turista em Fortaleza, mas existem alguns pontos que gosto muito de visitar quando estou por lá.

MERCADO CENTRAL

Localizado no centro da cidade, este é o polo cultural e artesanal que tem tudo junto e misturado. Por lá você encontra comidas típicas e produtos regionais (rapadura, castanha de caju, cachaça, licor, tapioca etc), assim como muitos produtos em couro legítimo, lembranças típicas como camisetas, jangadas, vasinhos de areia, artigos para decoração, produtos rendados e característicos do Nordeste. Enquanto você anda pelo mercado, escuta inúmeros sotaques, idiomas e de quebra ainda tem o privilégio de ouvir os repentistas que ficam na porta cantando. Todas as vezes que vou à Fortaleza, o mercado é parada obrigatória.

Site do Mercado Central

CATEDRAL METROPOLITANA DE FORTALEZA

Do ladinho do Mercado Central, a Catedral da Sé é uma incrível construção gótica que demorou quarenta anos para ser finalizada, tendo sua inauguração em 1978. Comporta 5mil pessoas, e chama atenção pela beleza arquitetônica, além de ser uma referência para os católicos. Vale muito a pena registrar e visitar seu interior.

Catedral Metropolitana de Fortaleza. Acervo Pessoal.
Catedral Metropolitana de Fortaleza. Acervo Pessoal.

DRAGÃO DO MAR

O Dragão do Mar também é voltado para eventos e demonstrações culturais. Por lá você encontra o Museu da Cultura Cearense, o Museu de Arte Contemporânea do Ceará, Planetário Rubens de Azevedo, Teatro Dragão do Mar, Salas do Cinema do Dragão – Fundação Joaquim Nabuco, Anfiteatro Sérgio Mota, Espaço Rogaciano Leite Filho, Biblioteca Leonilson, Auditório, Multigalerias e espaços para exposições itinerantes e Parque Verde. Desses, meu preferido é o Planetário: construído com tecnologia alemã, está entre os mais modernos do mundo, é o único no Brasil a projetar o arco-íris, através de 20 projetores multimídia. Tem capacidade para 90 pessoas e apresenta três sessões diárias, proporcionando grandes espetáculos na observação detalhada de estrelas, planetas e galáxias. (fonte: Wikipedia)

Dragão do Mar. Foto: OceanView Turismo.
Dragão do Mar. Foto: OceanView Turismo.

PARQUE DO COCÓ

Se você gosta de áreas verdes, caminhada e exercícios ao ar livre, este parque tem que estar na lista de locais obrigatórios a visita em Fortaleza.
O Parque possui uma trilha bem tranquila e gostosa de fazer, onde é possível conferir a fauna e a flora que ali vive. Também possui um espaço de eventos, onde acontecem shows, encontros de grupos e jogos amistosos. Ele é um dos maiores parques urbanos da América do Sul e a mais importante área verde e de preservação da cidade de Fortaleza.

parque do cocó
Parque do Cocó ao fundo. Arquivo Pessoal.

PRAÇA DO FERREIRA

Gosto muito dessa praça, acho ela arquitetonicamente muito linda. Espaçosa e localizada no coração da cidade, a Praça do Ferreira possui um relógio bem no meio no estilo Art Deco. No Natal, é montada uma árvore de natal imensa de redes de dormir, a cara do Ceará!

Fonte: TripAdvisor
Fonte: TripAdvisor

CASA E TEATRO JOSÉ DE ALENCAR

Tive a oportunidade de conhecer apenas a casa deste icônico autor brasileiro, porém o Teatro também entra na lista dos locais que você precisa conhecer quando estiver em Fortaleza.
Foi inaugurado oficialmente em 17 de junho de 1910. Apresenta arquitetura eclética e sala de espetáculo em estilo art nouveau de três andares que comporta 800 lugares. O complexo do Theatro conta ainda com auditório de 120 lugares, foyers, espaço cênico a céu aberto e o prédio anexo, com 2 600 metros quadrados, que sedia seu Centro de Artes Cênicas (CENA).

A casa de José de Alencar fica no bairro de Messejana, e nada mais é do que uma simples casa onde o autor viveu quando era criança. Dentro você encontra alguns móveis, painéis contando sua história e a parte literária. Também há monitores disponíveis para contar a história de José de Alencar e tirar dúvidas. A visita é gratuita e vale aproveitar o espaço verde em volta e o centro das Tapioqueiras!

Horário de Funcionamento da Casa:
Segunda a sexta:8:00 as 17:00.
Sábado: 9:00 as 12:00.
Grupos devem realizar agendamento prévio.
http://www.cja.ufc.br/index.php

Feirinha da Praia de Iracema

Você precisa conhecer a feirinha da Beira-Mar. Inúmeras barraquinhas enfileiradas tomam conta da frente da praia. Por lá tem de tudo: artesanato, souvenirs, bijuterias, bolsas, biquínis, material feito em couro, doces e comidas regionais… tem de tudo!

Fonte: Alpha Praia Hotel
Fonte: Alpha Praia Hotel



Continue Reading

O Nordeste é muito mais do que praias

Quando vemos os gringos falando do Brasil com olhinhos de criança, deveríamos parar pra pensar do porque disso. Nosso país tem muito a oferecer. Temos um país continental, cheio de diversidade. É como se existissem vários países dentro de um único Brasil. E não é atoa que o mundo inteiro quer visitar nosso cantinho.

O Nordeste tem tanto a oferecer, que eu, uma pessoa que sempre está por lá, não entendo ainda como que as pessoas se limitam apenas a conhecer as praias (que são belíssimas por sinal, e com certeza vale a visita). O Nordeste é muito mais que isso.
Sou muito suspeita pra falar do Brasil. Desde pequena eu corto o país de carro, fazendo a rota São Paulo – Fortaleza, para visitar a família que mora no Nordeste. Nessas aventuras, conheci várias cidades, um povo completamente plural, e aprendi muito ao longo dos meus 24 anos. A minha paixão é poder viajar para o Ceará especificamente e sempre receber a mesma lição de forma diferente: o simples me encanta. E isso vai além das praias.

Costumamos ir para uma cidade chamada Jucás, que fica no interior do Ceará, em média 350km de distância da capital, Fortaleza. Meus avós moravam lá e eles eram o principal motivo da viagem. Mas, para chegarmos lá, passávamos por vários estados, e era possível conhecer muita coisa. Víamos uma Bahia seca, porém sempre alegre. Víamos uma Minas Gerais repleta de curvas e sempre com muita simpatia. E principalmente, víamos a fome, a pobreza e a luta pela vida caminho afora.

O povo cearense (falo deles pois são os que tenho mais contato, pois tenho família por lá) é muito esforçado. São constante destaque nas classificações estudantis, pois sabem que o estudo e a educação são a única forma de salvá-los da condição em que o Nordeste se encontra perante o restante do país. A vida toda tive que lidar com algo que não entendia quando voltava pra casa. O preconceito com o povo Nordestino existe, e ainda é muito forte. Quando era pequena, desenvolvi um pensamento para explicar isso e que se confirma a cada vez que me deparo com esse tipo de atitude: existe esse preconceito porque as pessoas julgam sem conhecer, portanto ainda não tiveram a incrível oportunidade de ver de perto o quanto o povo Nordestino é alegre, receptivo e feliz em suas possibilidades.

Tenho muito orgulho das minhas raízes nordestinas, do riso fácil que eles têm, da alegria, da festança e da vontade de viver. Tenho um pouco de inveja da liberdade que eles têm, de poder colocar a cadeira na calçada, passar um tempo olhando a rua e conversando, sem pressa, sem o stress do dia-a-dia. Apenas curtindo o momento. Vivendo de forma simples, realmente vivendo de verdade. Tenho verdadeiro carinho pela cultura nordestina, pela música que sempre me lembra nossas viagens de carro daqui até lá, e principalmente tenho admiração pela vontade de vencer que esse povo tão feliz possui. E eles vencem. A mídia não mostra, alguns não se interessam em saber. Por isso eu recomendo: visite o Nordeste brasileiro. Faça um roteiro que inclua as praias, mas que também te de oportunidade de sentar e conversar com os locais. Vá ao interior. Explore o Nordeste de forma antropológica, que te dê a possibilidade de conviver com o povo que é tão alegre, feliz e que sabe aproveitar os momentos bons da vida, da forma deles.
Conheça seu país. Temos muito a oferecer, e você pode absorver tudo isso antes mesmo de ter a oportunidade de conhecer outro país.

ps: minha paixão pelo Nordeste é tão grande, que até meu TCC foi sobre essa região incrível do nosso país <3

Continue Reading