Bath

Texto e foto por: Greice Marques

Hey Guys, hoje vim falar do meu destino favorito dentro da Inglaterra: A cidade de Bath. Visitei a cidade em duas ocasiões: a primeira delas em 2012 em uma day-trip para Stonehenge e Bath e a segunda em 2016 para o festival da Jane Austen.

Da primeira vez fui no inverno, então os dias eram muito curtos e por causa da nossa viagem a Stonehenge (relato em breve por aqui) tivemos apenas 3 horas na cidade, em um domingo em que tudo estava fechado, não houve tempo de ver quase nada, fizemos um passeio com o guia que nos contou um pouco sobre a história da cidade e algumas curiosidades e depois nos deixou livres para ver alguns dos pontos turísticos.

A cidade localizada no vale do rio Avon no condado de Somerset, virou patrimônio da Unesco em 1987, e chama a atenção por sua arquitetura georgiana e sua história. Acredita-se que a cidade foi criada pelos romanos que ali descobriram águas termais com propriedades curativas e construíram o que hoje é conhecido como Roman Baths e pode ser visitado pelo público. A cidade se desenvolveu em torno das águas termais e se tornou um complexo de spas atraindo os ricos e transformando-a em um ponto de encontro da alta sociedade Georgiana.

Atualmente, além dos Roman Baths, a cidade atrai um grande número de turistas por causa de uma de suas moradoras ilustres do século 19: a autora Jane Austen. Apesar de ter vivido na cidade por apenas 5 anos (de 1801 a 1806), e ter repetido inúmeras vezes em suas cartas que não gostava muito da cidade, duas de suas obras; Persuasão e a Abadia de Northanger são situadas no local e apresentam uma caricatura da sociedade na época em que a autora viveu. A cidade possui um museu dedicado a autora chamado The Jane Austen Center e também realiza o Jane Austen festival, que é uma semana de eventos relacionados a autora e suas obras.

Eu como uma boa Janeite, em minha primeira visita a cidade, percorri os lugares que aparecem no filme Persuasão (que por sinal é meu livro favorito da Jane), A rua Royal crescent, Pulteney Bridge, Bath Abbey and the Assembley rooms e passei em frente ao museu da Jane Austen que fica perto do Royal Crescent. Como tinha pouco tempo na cidade não pude entrar, mas conversei com o “senhor Bennet” que trabalha no museu e ele me disse que se eu tivesse oportunidade deveria voltar em Setembro para o Festival. Ele me garantiu que as pessoas se vestiam a caráter e desfilavam pelas ruas da cidade e isso nunca saiu da minha cabeça. No ano que passei em Londres, lembrei do que ele tinha me dito e aproveitei para visitar a cidade durante o festival.

A cidade é relativamente pequena, então um dia nela é o suficiente, porém aconselho que este dia seja dedicado apenas para a cidade. Se a intenção for visitar Stonehenge primeiro, acredito que seja melhor pernoitar na cidade para poder aproveitá-la de verdade, especialmente se a viagem for no inverno. No verão acredito que dê para fazer os dois destinos tranquilamente em um dia. Há uma série de opções de lugares com valores acessíveis. Quando visitei a cidade pela segunda vez fiquei em um hostel que custou 15 libras a noite.

Pultney Bridge foi o lugar que mais me encantou na cidade, a ponte que é uma de apenas quatro no mundo que possui lojas em cima dela em ambos os lados. A vista do rio e da ponte é a primeira coisa que vi ao entrar na cidade e é incrível. Eu me senti dentro de um filme de época. Descobri ao pesquisar para escrever o relato que a ponte foi utilizada como cenário para a morte de Javert em Les Misérables e agora amo ainda mais. 😉

The Circus e Royal Crescent são algumas das construções mais bonitas da cidade.  As casas do Circus formam um círculo, que junto com a rua chamada Gay street tem, propositalmente o formato de uma chave. The Royal Circus possui o formato de uma lua crescente e todas as casas tem vista para o parque logo em frente chamado Victoria Park. O gramado em frente as casas era o local de encontro da sociedade Georgiana, que passeavam por ali e inclusive tomavam café da manhã no local. Hoje em dia, o parque ainda é muito utilizado para piqueniques, passeios com os cachorros, e área de descanso para os moradores e turistas que visitam Bath.

bath vista de cima – the circus e royal crescent

O Roman Baths, que é o primeiro complexo termal da cidade, recebe o maior número de visitantes na cidade e também é o lugar mais caro de se visitar. Vale a pena para quem quer tomar um típico chá inglês, molhar as mãos nas águas termais, visitar o museu e conhecer a história da primeira construção da cidade. Eu decidi não visitar o Roman Baths, porque não quis aguentar as filas, porém todas as pessoas que visitam o local adoram a atração. Ao lado do Roman Baths, encontra-se a Abadia de Bath, e na praça e rua ao lado desses dois lugares encontram-se lojinhas de souvenirs e a maioria das lojas da cidade para quem gosta de fazer compras.

Bath e o Festival da Jane Austen

Em minha segunda visita à cidade meu foco era o festival, portanto fiz um walking tour dos lugares em que a Jane Austen morou e os locais que costumava frequentar. Walking tours são sempre uma ótima opção para conhecer os lugares da cidade, sendo o tour temático ou não, dá pra conhecer um pouco da história local e visitar os lugares mais importantes ao mesmo tempo.

Durante o walking tour passamos pela Great Pulteney street que fica logo após a ponte e fomos até a casa que a Jane morou por um tempo localizada em frente ao museu Holburne, que fica ao lado do Sydney Gardens que era onde a Jane e a irmã costumavam caminhar. O tour foi bem interessante porque fui para o lado da cidade que eu não tinha conhecido na primeira visita. As casas são todas com o mesmo tipo de arquitetura e a cidade tem várias colinas, então as caminhadas as vezes são cansativas, mas a vista e as paisagens são lindas.

Bath

great pultney street

O museu da Jane Austen chamado The Jane Austen Center é um ponto turístico indispensáveis para fãs da autora. Além de explicar um pouco sobre a situação dos Austens e sua relação com Bath, você ainda pode se vestir com roupas da época, testar suas habilidades com canetas de pena e aproveitar os souvenirs maravilhosos da loja do museu. Encontrei o mesmo senhor Bennet que disse para que eu visitasse a cidade durante o festival e contei para ele que estava ali por recomendação dele e ele ficou muito contente por eu ter voltado á cidade.

Bath

O festival conta com várias atrações pagas e os valores geralmente são bem altos. Como fui no último fim de semana do festival só consegui fazer o walking tour, e depois acompanhei o desfile chamado mini promenade, de pessoas caracterizadas com roupas da época. Amei. Achei tudo muito legal especialmente porque vários casais participam e as roupas eram maravilhosas!

Bath é o destino ideal para quem procura fugir da frenética Londres para conhecer cidades inglesas menos populosas e com paisagens incríveis. A sensação que tive foi a de ter voltado alguns séculos no tempo e de não querer voltar mais para o período atual.



Booking.com



Posts Relacionados

Share:
Escrito por Ana Luna
Fez intercâmbio, trabalha com turismo, viajou por aí e queria um espaço pra dividir suas experiências! Também é colaboradora do Maroon 5 Brasil